MOÇÃO DE APOIO


Brasília, 14 de novembro de 2008


O Sindicato dos Escritores do Distrito Federal – SEDF, reunido em 08 de novembro de 2008, aprovou, por unanimidade de seus membros, moção de apoio ao escritor Alaor Barbosa. Alaor Barbosa foi injusta e violentamente criticado, bem como, processado pela filha do nosso regionalista maior, Guimarães Rosa. Seu livro foi apreendido pela justiça e sua honra tem sido atingida com adjetivos extremamente ofensivos, sobretudo quando se trata de um homem tão respeitado pelos escritores deste país.


É um absurdo que em pleno século XXI obras literárias ainda sejam objeto de censura prévia. Sabemos que livros foram queimados ao longo da história. Por motivos religiosos, ideológicos, morais, políticos e outros. Mesmo a grande Alemanha, há pouco mais de meio século, queimou todos os livros considerados ameaçadores a sua visão de mundo. Agora mesmo, nessa geração, o escritor indo-britânico Salman Rushdie chegou a ser condenado a morte pelo conteúdo religioso de seu livro, Versos Satânicos. Escritores são condenados de tempos em tempos. Agora, que uma sociedade democrática e multicultural castre o direito de um escritor expressar sua opinião – positiva - acerca de um gênio brasileiro, nos deixa perplexos. Qual é o motivo dessa censura? É religiosa? Política? Ideológica? Como ocorre comumente? Ou seria de conteúdo meramente pecuniário? Já que o Deus dinheiro está sempre metido nessas coisas. Não toleraremos isso.


Queremos que a razão prevaleça. Esperamos, que os deploráveis exemplos aqui citados não venham a se repetir novamente. A biografia de Guimarães Rosa da autoria de Alaor Barbosa é um hino de amor ao autor de grande Sertão Veredas. A prisão de seu livro é uma violência que precisa ser reparada, e com urgência. Estamos diante de um caso nítido de cerceamento da liberdade de expressão, um dos pilares de sustentação das modernas democracias. E nós somos uma democracia. Que se restaure o direito de pensar e de escrever.


MEIRELUCE FERNANDES – PRESIDENTE DO SEDF